Aveiras: Francisco George visitou delegação da Cruz Vermelha nesta terça-feira

O presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George, visitou nesta tarde de terça-feira a Delegação de Aveiras de Cima. George tomou conhecimento do projecto de construção da nova sede desta corporação e expressou o desejo de ver a obra concluida já em 2019.

O presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George, visitou nesta tarde de terça-feira a Delegação de Aveiras de Cima da CVP. Francisco George tomou conhecimento do projecto de construção da nova sede desta corporação e expressou o desejo de ver a obra concluida já em 2019. A visita de Francisco George insere-se num conjunto de visitas que o presidente da Cruz Vermelha está a empreender a diversas delegações deste organismo no território nacional.

Na reunião desta tarde ocorrida em Aveiras de Cima estiveram também presentes José Torres, presidente do núcleo local, e ainda António Torrão, presidente da Freguesia de Aveiras de Cima; Luís de Sousa, presidente do executivo maioritário na Câmara Municipal de Azambuja e também Irene Veloso, vice-presidente nacional da Cruz Vermelha Portuguesa para as delegações deste organismo.

José Torres afirmou, em declarações ao Fundamental – Jornal Online, que Francisco George revelou entusiasmo ao ver o projecto da nova sede da delegação de Aveiras de Cima da Cruz Vermelha, acrescentando que o dirigente nacional manifestou vontade de ver o mesmo concretizado até 2019.

Ainda sobre a Cruz Vermelha Portuguesa, soube-se por estes dias que o comando nacional de emergência da CVP vai passar de Lisboa para Coimbra, o que sucederá já durante esta semana. A medida ficou a ser conhecida no passado sábado e foi anunciada na antiga igreja do Convento São Francisco, situada em Coimbra, local onde teve lugar um Encontro Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa.

Francisco George acabou, na ocasião, por confirmar a decisão, justificando a mesma com o facto de Lisboa ter uma potencialidade sísmica maior do que Coimbra. A localização central de Coimbra na geografia de Portugal e a proximidade às zonas de risco no que se refere a incêndios florestais foram igualmente factores decisivos para sustentar a decisão da mudança.

De notar que o novo número de emergência da Cruz Vermelha Portuguesa é o 1415, número que entra em funcionamento dentro de dias, segundo o próprio Francisco George, presidente deste organismo. Acrescente-se que o atendimento será feito também em Coimbra. Trata-se de um número mais direccionado para a proteção civil, para os bombeiros ou para o próprio INEM, mas o 1415 também poderá ser usado pelas populações.

 

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR