Mário Correia sobre a Feira: “Não está virada para os comerciantes de Alenquer”

Mário Luis Correia foi candidato à presidência da Câmara de Alenquer nas últimas autárquicas de 2017, em representação do Bloco de Esquerda. Convidado a opinar sobre a feira da Ascensão e sobre o cartaz de promoção daquele evento, que se realiza entre os dias 9 e 13 de Maio, Mário Correia afirmou: "O certame não está virado para os comerciantes de Alenquer".

Mário Luis Correia foi candidato à presidência da Câmara Municipal de Alenquer nas últimas autárquicas de 2017, em representação do Bloco de Esquerda. Convidado a opinar sobre a feira da Ascensão e sobre o cartaz de promoção daquele evento, que se realiza entre os dias 9 e 13 de Maio, Mário Correia afirmou: “O certame não está virado para os comerciantes de Alenquer”.

Professor em Alenquer já há quase duas décadas, Mário Correia é mais um dos que partilham a opinião de que o cartaz alusivo ao certame está mal conseguido: “Tem um grafismo já ultrapassado e nada apelativo, a menos que queiram que o evento só seja visto pelas mesmas pessoas de anos anteriores”, refere o antigo candidato bloquista à presidência da Câmara de Alenquer em outubro do ano passado.

Ainda sobre a capacidade atractiva do cartaz de divulgação da Feira da Ascensão, Mário Luis Correia acrescenta: “Pessoas que não sejam do concelho duvido que se sintam atraídas a vir à Feira por efeito do cartaz”. O professor aprofunda a sua análise quanto ao espírito do certame: “Os grupos musicais são os do costume, e sem a qualidade desejada”.

Já quanto às vacadas, Mário Correia também se manifesta um não admirador desta vertente da Feira. “Eram de todo dispensáveis, porque são perigosas para as pessoas e para os animais”, defende, acrescentando: “Os comerciantes de Alenquer não são citados no cartaz nem é publicitado nenhum produto tipico da região, isto num concelho dominado pelas grandes superficies que vão matando o comercio tradicional, e que poucos defendem”.

 

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR