Cartaxo: Conde Rodrigues acusado de crime de peculato contra o Estado português

O Ministério Público acusou José Conde Rodrigues do crime de peculato. Segundo a acusação, Conde Rodrigues terá gasto 14 mil euros do cartão de crédito do ministério das Justiça em livros, que no final do mandato levou para casa.

De acordo com notícia veiculada pela revista Sábado, o Ministério Público acusou José Conde Rodrigues do crime de peculato. Segundo a acusação, a que a revista em causa teve acesso, Conde Rodrigues terá gasto 14 mil euros do cartão de crédito do ministério das Justiça em livros, que no final do mandato levou para casa.

“Os cartões de crédito que lhes foram atribuídos para fins públicos foram utilizados em benefício próprio, adquirindo bens para uso pessoal, nomeadamente adquiriram livros e revistas que não se enquadravam no âmbito funcional ou de serviço, quer pela sua temática, quer pela sua natureza, que não reverteram a favor do Estado, produzindo no erário público prejuízo pecuniário”, lê-se numa nota publicada na Procuradoria Distrital de Lisboa.

Em causa está igualmente o mesmo crime praticado por José Magalhães, que foi secretário de estado socialista nos governos de Sócrates. Conde Rodrigues encontra-se sujeito às medidas de coação de Termo de Identidade e Residência (TIR). O “Ministério Público deduziu pedido de indemnização civil em representação do Estado Português”., ainda de acordo com a Sábado.

No decorrer desta investigação foram analisados os cartões de crédito e respectivos titulares membros dos gabinetes ministeriais, desde o ano de 2007 até 2013, assim como os respectivos extractos de movimentação. De acordo com o mesmo comunicado e segundo a mesma fonte, à excepção dos processos que envolvem estes dois secretários de Estado – Conde Rodrigues e José Magalhães, o Ministério Público procedeu ao arquivamento parcial do processo.
 
VIAAlexandre Silva
FONTERevista Sábado
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA