Basset Hound: o 007 canino (Rubrica de Jorge Guilherme)

Hoje vamos falar do Basset Hound. A sua identidade visual de calma e bonacheirão esconde muito as suas capacidades sensoriais. Oriundo de França, o Basset é um cão de caça a pé, com um poder olfactivo bastante elevado, ficando só atrás do seu primo, o Bloodhound.

Hoje vamos falar do Basset Hound. A sua identidade visual de calma e bonacheirão esconde muito as suas capacidades sensoriais. Oriundo de França, o Basset é um cão de caça a pé, com um poder olfactivo bastante elevado, ficando só atrás do seu primo, o Bloodhound.

Como o seu próprio nome indica “bas” em Francês é pequeno. A sua identidade histórica remonta à idade média, onde os monges o desenvolveram com o intuito de caça. Uma caça que se baseava no seguimento de rastos ou pistas de outros animais, sempre em locomoção a pedestre, ambiente no qual o Basset era um exímio caçador e perseguidor.

Hoje em dia é vislumbrado e utilizado como um cão de companhia, muito ligado ao ambiente familiar, requerendo muito a presença do seu dono. O Basset é um cão que não tolera muito a solidão.

Para isso é necessário, após o planeamento de aquisição de um cão desta raça, que o futuro dono tenha em atenção, além das condições ambientais, terreno e espaço necessárias para o seu habitat, esta necessidade de companheirismo característico desta raça, podendo mesmo ter outro congénere ou outro animal que sirva de companhia aquando de grandes estadias no exterior da casa pelo dono. Esta raça de cães é bastante sociável com outros cães ou animais.

O Basset quando jovem é ágil, astuto e bastante agitado. Com o avançar da idade, essa agilidade e agitação vão regredindo, tornando-se cada vez mais calmo e pacifico. Este cão tem uma característica que não o auxilia muito: a sua teimosia. O não acatar facilmente ordens de comando (contudo é muito ligado a ambiente familiar), e com a idade torna-se cada vez mais preponderante essa teimosia.

Características interessantes. O Basset em um latir e uivar muito característico, que o identifica como tal, e que o utiliza quando se sente completamente só ou triste. As suas orelhas são compridas, e têm como intenção trazer os odores do terreno até às suas narinas, para uma melhor detecção de pistas.

Tem um acumular de pele junto aos olhos; quando baixa a sua cabeça, essa mesma pele bloqueia a visão, obrigando-o a concentrar-se só no poder olfactivo, seguindo rigorosa e precisamente uma pista ou rasto. A sua cauda, quando o cão se encontra a farejar, fica virada para cima, com o intuito de marcar a posição do cão perante o seu dono, a fim de o mesmo ter conhecimento da localização do Basset. A mesma cauda deverá ter no seu terminus uma ponta branca, de forma a melhor demarcar a posição. O seu pelo pode ser tricolor, baseando-se no preto, marrom e branco, ou bicolor apenas no branco e marrom.

Treino do Basset. O treino ou educação deste canídeo deverá cingir-se a passeios. Como qualquer cão deverá ter uma educação adequada, sabendo distinguir vozes de comando e vozes de afecto, orientação na conduta e regras impostas pelo dono, assim como rápida aceitação do cão perante tais regras.

Lidar muito com a Sociedade e outros canídeo ou outros animais; o Basset é um apaixonado por crianças, por isso deverá ter sempre em atenção a aceitação das mesmas por este. Do Basset espera-se sempre a adoração por o ser Humano no seu estado mais verdadeiro e inocente. Como são muito gulosos, é peremptória a necessidade de passeios diários, assim como exercitar actividades de caça, trocando a perseguição ou busca de um animal pelo intuito de busca de um objecto.

 

DEIXE UMA RESPOSTA