Casa Mãe: milagre do Prior garante um lar para crianças orfãs ou abandonadas

A Casa Mãe "O Pombal" tornou-se numa instituição de referência de Aveiras de Cima e da região. Esta é mais uma obra do Prior António Cardoso que sobrevive graças à solidariedade da comunidade local, uma vez que as receitas oriundas do poder central não chegam para colmatar as despesas que a instituição suporta para manter vivo o sonho do Padre António.

Prior António Cardoso com os seus meninos da Casa Mãe O Pombal. A instituição continua a sobreviver graças à solidariedade da comunidade da região.

A Casa Mãe “O Pombal” tornou-se numa instituição de referência de Aveiras de Cima e da região. Esta é mais uma obra do Prior António Cardoso que sobrevive graças à solidariedade da comunidade local, uma vez que as receitas oriundas do poder central não chegam para colmatar as despesas que a instituição suporta para manter vivo o sonho do Padre António.

As contas anuais não deixam dúvidas: as verbas que provêm do Estado significam somente dois terços das necessidades desta instituição que acolhe crianças sem família. São cerca de duas dezenas os meninos e as meninas que encontraram na Casa Mãe o lar que a vida não lhes proporcionou fora desta instituição. Por essa razão há que puxar pela imaginação para chegar ao valor restante.

Foi o que fez – e o que continua a fazer – com mestria o Prior António Cardoso ao longo de toda a sua vida: desencantar apoios para dar corpo às suas obras de caridade. No que diz respeito à Casa Mãe o desafio torna-se ainda maior dado que, para além das verbas oriundas do poder central, esta instituição não conta com quaisquer outras receitas, como sucede com o Lar de Idosos ou o Jardim de Infância, instituições nas quais as mensalidades liquidadas ajudam a complementar as verbas atribuídas pelo Estado.

Para tornar o desafio ainda mais aliciante, os responsáveis pela Casa Mãe são obrigados a garantir que a instituição possui uma quantidade significativa de requisitos e exigências do próprio Estado. As verbas atribuídas pelo poder central, no entanto, não são suficientes para dar corpo a tais exigências, pelo que apenas resta ao Prior e seus colaboradores contarem com o espírito solidário de toda uma região.

De realçar que a Casa Mãe “O Pombal” acolhe, como já foi referido, cerca de duas dezenas de crianças que encontraram nesta instituição um Lar e uma razão de vida. São necessárias colaboradoras a tempo inteiro para garantir um acompanhamento permanente a estas crianças, com os custos inerentes.

Um desafio permanente, que o Prior António Cardoso continua a garantir que todos os dias chega a bom porto. Um verdadeiro milagre, só ao alcance dos predestinados.

 

 

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR